Definicao Passiva Da Margem Continental Forex




Definição Passiva Da Margem Continental ForexDefinicao da Margem Continental Ativa Uma margem continental ativa refere-se a borda submersa de um continente que substitui uma litosfera oceanica em um limite de placa convergente pela oposicao com uma margem continental passiva que e a cicatriz restante a beira de um continente apos a separacao continental. O termo ativo enfatiza a importancia da atividade tectonica (sismicidade, vulcanismo, construcao da montanha) associada a convergencia de placas ao longo dessa fronteira. Hoje, as pessoas geralmente se referem a uma zona de subducao ao inves de uma margem ativa. Generalidades As margens continentais ativas, ou seja, quando uma placa oceanica subduz sob um continente, representam cerca de dois tercos das margens convergentes modernas. Seu comprimento acumulado foi estimado em 45.000 km (Lallemand et al., 2005). A maioria deles esta localizada no circum-Pacifico (Japao, Kurils, Aleucias e Norte, Medio. Este e um trecho do conteudo Bibliografia Cartigny, P. Chinn, I. Viljoen, KS e Robinson, D. 2004. Proterozoico precoce Metamorfismo de ultra-alta pressao: evidencia de microdiamas. Science. 304. 853855. CrossRef Hassani, R. Jongmans, D. e Chry, J. 1997. Estudo da deformacao de placas e do estresse em processos de subducao usando modelos numericos bidimensionais. Journal of Geophysical Research . 102 (B8), 1795117965. CrossRef Heuret, A. e Lallemand, S. 2005. Movimentos de placas, dinamica de laje e deformacao do arco traseiro. Fisica da Terra e Interiores Planetarios. 149. 3151. CrossRef Kanamori, H. 1977. A libertacao de energia em grandes terremotos. Journal of Geophysical Research. 82 (20), 29812987. CrossRef Kincaid, C. and Sacks, IS 1997. Evolucao termica e dinamica do manto superior nas zonas de subducao. Journal of Geophysical Research. 102 (B6 ), 1229512315. CrossRef Konstantinovskaia, E A. A. Colisao do arco-continente e inversao de subducao na evolucao cenozoica do Pacifico Noroeste: um exemplo de Kamchatka (NE Russia). Tectonofisica. 333. 7594. CrossRef Kroehler, M. E. Mann, P. Escalona, ??A. e Christeson, G. L. 2011. Inicio do inicio do diacronico do Cretaceo-Mioceno ao longo do cinturao deformado do Caribe Sul e sua importancia para a compreensao dos processos de colisao do arco e crescimento da crosta. Tectonica. 30. TC6003. CrossRef Lallemand, S. 1999. La subduction ocanique. Amsterda: Gordon e Breach Science Publishers, 208 pp (em frances). Lallemand, S. E. Popoff, M. Cadet, J.-P. Deffontaines, B. Bader, A.-G. Pubellier, M. e Rangin, C. 1998. Relacoes geneticas entre o amplo centro sul da fila filipina e a trincheira das Filipinas. Journal of Geophysical Research. 103 (B1), 933950. CrossRef Lallemand, S. Huchon, P. Jolivet, L. e Prouteau, G. 2005. Em Vuibert (ed.), Convergence lithosphrique. 182 pp (Paris). Roger, F. Arnaud, N. Gilder, S. Tapponnier, P. Jolivet, M. Brunel, M. Malavieille, J. Xu, Z. e Yang, J. 2003. Restricoes geocronologicas e geoquimicas na sutura mesozoica no centro-leste do Tibete . Tectonica. 22 (4), 1037. CrossRef Scholz, C. H. 1990. A Mecanica dos Terremotos e Faulting. Nova York: Cambridge University Press. 400 pp. Shemenda, A. I. 1992. Compressao e subducao de litosfera horizontal: restricoes fornecidas pela modelagem fisica. Journal of Geophysical Research. 97 (B7), 1109711116. CrossRef Stern, R. J. e Bloomer, S. H. 1992. Infancia da zona de subducao: exemplos dos arcos Eocene Izu-Bonin-Mariana e Jurassic da California. Boletim da Sociedade Geologica da America. 104. 16211636. CrossRef Taboada, A. Rivera, LA Fuenzalida, A. Cisternas, A. Philip, H. Bijwaard, H. Olaya, J. e Rivera, C. 2000. Geodinamica do norte dos Andes: subducoes e deformacao intracontinental (Colombia) . Tectonica. 19 (5), 787813. CrossRef Tamura, Y. Ishizuka, O. Aoike, K. Kawate, S. Kawabata, H. Chang, Q. Saito, S. Tatsumi, Y. Arima, M. Takahashi, M. Kanamaru, T. Kodaira, S. e Fiske, RS 2010. Corinto de Oligoceno perdido do arco de Izu-Bonin: consumido ou rejuvenescido durante a colisao. Jornal de Petrologia. 51 (4), 823846, doi: 10.1093petrologyegq002. Turcotte, D. L. e Schubert, G. 1982. Geodinamica: aplicacoes de fisica continua a problemas geologicos. Nova Iorque: Wiley. 450 pp. Uyeda, S. 1984. Zonas de subducao: sua diversidade, mecanismo e impactos humanos. GeoJournal. 8 (4), 381406. CrossRef Weissel, J. Anderson, R. e Geller, C. 1980. Deformacao da placa indo-australiana. Natureza. 287. 284291. CrossRefAsk GeoMan. Qual e a diferenca entre uma margem continental ativa e passiva. Isso e facil. A crosta terrestre e dividida em secoes, chamadas placas. Existem dois (2) tipos basicos: placas oceanicas que sao compostas de basalto. E placas continentais, que sao na sua maioria de granito. As placas continentais estao em movimento e, literalmente, saltam na superficie, como discos gigantes de hoquei no ar. A taxa geral pode ser extremamente lenta (de um a dez centimetros por ano), mas o efeito de longo prazo e uma reformacao continua da superficie do nosso planeta. Uma margem continental ativa e encontrada na vanguarda do continente, onde esta caindo em um prato oceanico. Um excelente exemplo e a costa oeste da America do Sul. As margens activas sao comumente os locais de atividade tectonica. Terremotos, vulcoes, construcao de montanhas e a formacao de novas rochas igneas. Devido ao terreno montanhoso, a maioria dos rios sao bastante curtos, e a plataforma continental e estreita a inexistente, caindo rapidamente nas profundezas da trincheira de subducao. As margens continentais passivas sao encontradas ao longo dos litorais restantes. Como nao ha colisao ou subducao ocorrendo, a atividade tectonica e minima e os processos de erosao e erosao da Terra estao ganhando. Isso leva a muita terra de baixo relevo (plana), estendendo ambas as direcoes da praia, sistemas de rios longos e o acumulo de pilhas espessas de detritos sedimentares nas prateleiras continentais relativamente amplas. Mais uma vez, a America do Sul e um excelente exemplo. O rio Amazonas, cuja fonte esta na Cordilheira dos Andes (a margem ativa) drena o leste atraves do interior da America do Sul ate a costa, onde entra no Oceano Atlantico e deposita o tremendo volume de materiais sedimentares que corromperam do continente. A placa norte-americana tambem serve para ilustrar essa diferenca. A costa oeste e a margem ativa, e e a localizacao de terremotos, vulcoes e montanhas. O Litoral Oriental e uma margem passiva, assim como a Costa do Golfo. Estas sao as areas de baixo alivio do nosso continente, e sao locais de lugares tao emocionantes como Nova Jersey, Ilhas Barreiras, os pantanos da Florida e o delta do Mississippi. Voce e o numero GeoManiac desde 1? de abril de 1997